O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, considerou esta segunda-feira que o novo curso de Medicina da Universidade de Aveiro responde a um paradigma da formação de médicos, que vão ter competências noutras áreas, noticia a Lusa.

O Programa de Formação em Medicina da Universidade de Aveiro, em colaboração com a Universidade do Porto, é o primeiro consórcio entre universidades portuguesas.

O curso, que vai entrar em funcionamento no ano lectivo 2011/12, é destinado a candidatos que já possuam uma licenciatura e terá apenas 45 alunos no primeiro ano de funcionamento, número que vai aumentar gradualmente até atingir os 120.

Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, este curso «responde a um paradigma de formação que é diferente da generalidade das faculdades de Medicina».

«Hoje, em todo o mundo, generalizou-se a necessidade de termos dois tipos de cursos de Medicina: o curso de Medicina Tradicional, de estudantes que terminam o ensino secundário e fazem um curso de Medicina de seis anos, mas em alternativa cursos de Medicina mais curtos, normalmente de três ou quatro anos, destinados a pessoas que tenham tido um primeiro ciclo de formação de outra área», disse o ministro.

O ministro adiantou que se verificou ser de enorme importância formar «profissionais maduros e com outras competências».

Mariano Gago falava aos jornalistas à margem do primeiro simpósio anual do programa Harvard Medical School-Portugal, realizado no Centro Cultural de Belém.