O cardeal patriarca de Lisboa sublinhou a importância do «amor fraterno» e das «expressões da fé», lamentando «a perda do sentido da verdadeira alegria».

«As expressões da fé vivida que mais tocam os corações são a sua celebração pela comunidade crente e o amor fraterno. É por isso que a Liturgia é, na sua verdade mais profunda, anúncio da salvação e meio para a missão evangelizadora da Igreja», disse D. José Policarpo na homilia da noite de Natal, na Sé Patriarcal.

Intitulada «A Liturgia é anúncio da Salvação», a homilia do cardeal patriarca incidiu também sobre a missão prioritária da Igreja Católica, o anúncio da «salvação definitivamente realizada em Jesus Cristo».

«Fá-lo de muitos modos, mas o mais eficaz é o testemunho da vida, a fé traduzida em experiência de salvação. É a densidade do testemunho que dá autenticidade à palavra», acrescentou D. José da Cruz Policarpo, alertando que a época natalícia, mais do que uma festa cristã, deverá ser encarada pelos crentes como a expressão dos valores e anseios da família, como a paz, a convivência, a partilha de dons e a dimensão da vida.

No final da homilia, o cardeal patriarca criticou «a perda do sentido da verdadeira alegria» e a respectiva procura através dos «caminhos frenéticos de excitação», na busca de prazeres, de interesses e na fruição dos bens materiais.

«Acolhamos a mensagem desta celebração, empenhando-nos nela e faremos, talvez, a experiência de uma alegria, que sendo humana não se reduz a nenhuma realidade deste mundo. Talvez percebamos de novo o que queremos dizer uns aos outros quando nos saudamos, desejando Bom Natal, Santo Natal», concluiu.