O Festival Músicas do Mundo de Sines (FMM), marcado para julho, contará com cinco artistas do Médio Oriente e Ásia, região com «múltiplas faces», «diversificada e em transformação», anunciou esta quarta-feira a organização.

O 17.º FMM de Sines acontecerá de 17 a 25 de julho, tendo já no cartaz artistas de África e da América Latina. Agora, juntam-se sons do Oriente, com o quinteto Alif (Médio Oriente), o tocador Niladri Kumar (Índia), o trio Idiotape (Coreia do Sul), os Sharen (China) e a orquestra Pascals (Japão).

Em estreia em Portugal estará o grupo Alif, fundado em 2012 e que editará o álbum de estreia em maio. O grupo, que junta o rock à música árabe, integra músicos do Líbano, Egipto, Síria e Palestina.

De regresso a Sines estará o tocador de sitar Niladri Kumar, que assume como missão divulgar a música clássica indiana, afirma a organização do festival. Criador do sitar elétrico, o instrumentista já tocou com músicos como Herbie Hancock, Zakir Hussain e John McLaughlin.

De Seul chegará o trio de dança e eletrónica Idiotape, que junta sintetizadores analógicos e bateria e tem como inspiração o rock coreano de há 40 anos.

A estes nomes junta-se ainda a orquestra japonesa Pascals - com 14 músicos, instrumentos variados, incluindo brinquedos, e música «aberta a todas as possibilidades», inspirada no trabalho do francês Pascal Comelade - e os chineses Sharen que fundem «música tradicional das etnias Yi e Wa com estilos modernos, como o rock, o reggae e o hip hop».

Este ano o FMM de Sines conta já com as presenças, do lado da América Latina, da orquestra colombiana La 33, da cantora argentina Soema Montenegro, da MC chilena Ana Tijoux e dos mexicanos Troker.

De África chegarão Orlando Julius e The Heliocentrics (Nigéria), Dele Sosimi e Afrobeat Orchestra (Nigéria), Toumani Diabaté e Sidiki Diabaté, pai e filho do Mali, Songhoy Blues (Mali), Peter Solo (Togo) e os Ibibio Sound Machine, coletivo de Londres, liderados pela cantora de sangue nigeriano Eno Williams.

O FMM Sines, eleito pela revista Songlines como um dos 25 melhores festivais internacionais de músicas do mundo, é organizado pela autarquia de Sines e tem direção artística de Carlos Seixas.