O Facebook anunciou uma nova medida que visa acabar com interferências eleitorais que possam surgir durante as campanhas dos EUA. Para isso, a rede social vai apostar num método de segurança mais tradicional, que surge como resposta aos alegados envolvimentos da Rússia nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

A partir de agora, qualquer pessoa que queira pagar para promover um anúncio a respeito de algum candidato em 2018 vai ter de introduzir um código secreto, que será enviado pelo correio, em forma de postal.

A ideia é comprovar que, quem está a financiar o post publicitário, é alguém que reside nos Estados Unidos. Os postais serão usados somente para confirmar a identidade e o endereço de anunciantes que citarem nominalmente algum candidato às eleições parlamentares deste ano nos EUA. Posts patrocinados a respeito de temas genéricos não passarão por esse processo.

Quem fizer um anúncio que faça referência a um candidato vai receber um postal e terá de usar o código para provar que está nos EUA", explicou à agência Reuters Katie Harbarth, diretora da equipa do Facebook que ajuda os governos de todo o mundo a usar a plataforma. 

O anúncio surge depois da acusação a entidades e personalidades russas que, alegadamente, terão interferido nas presidenciais norte-americanas de 2016, manipulando várias redes sociais, nomeadamente o Facebook. 

A  diretora global de política do Facebook admitiu porém, à mesma agência de notícias, que a medida poderá "não resolver tudo", sem informar quando o envio dos postais deve começar.