O Centro Hospitalar do Algarve vai receber, a partir de 30 de abril, equipas médicas de Oncologia e Hemato-oncologia para "ultrapassar a falta de profissionais nestas especialidades” na região, disseram à Lusa responsáveis dos organismos envolvidos.

O acordo, firmado esta sexta-feira em Faro entre a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, o Centro Hospitalar do Algarve e o Centro Hospitalar de Lisboa Norte, é válido por um ano e prevê a deslocação periódica de equipas médicas daquelas especialidades, de Lisboa para o Algarve, estando previstos acordos idênticos nas áreas da Pediatria, Ginecologia e Ortopedia.

Em declarações à Lusa, após a assinatura do acordo, o presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Algarve, Joaquim Ramalho, precisou que os beneficiários principais do acordo serão os doentes de Oncologia do Barlavento algarvio que se deslocam ao Hospital de Portimão.

Por seu lado, o presidente do conselho diretivo da ARS/Algarve, João Moura Reis, salientou que “pela primeira vez” está a haver a solidariedade de outros hospitais do país para resolver a falta de recursos humanos das unidades de saúde algarvias.

Já o presidente do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Carlos Martins, revelou que deverá ser assinado um acordo idêntico na área da Pediatria “até ao fim do mês de abril”.

Esta semana, o ministro da Saúde anunciou a instalação, no Algarve, de um segundo acelerador linear, para tratamentos de radioterapia, como forma de reforço da segurança clínica na região.

Adalberto Campos Fernandes anunciou ainda, durante a mais recente Comissão Parlamentar de Saúde, a abertura de um concurso para a concessão da gestão do Centro de Medicina de Reabilitação do Sul, localizado em São Brás de Alportel.