O Iémen está mergulhado numa guerra civil há quase três meses, mas a Cidade Velha da sua capital, Saná, que faz parte da lista do Património Mundial da UNESCO, foi escapando às muitas destruições que o têm atingido.

Nesta sexta-feira, a imunidade acabou.

O bairro de Al-Qasimi, um dos mais emblemáticos daquela zona classificada, foi atingido por um míssil aparentemente disparado por um avião de combate da coligação que procura derrotar os rebeldes Houthi, que controlam a cidade. Um porta-voz militar saudita garantiu que não houve ataques aéreos em Saná, mas restam poucas dúvidas sobre a origem da destruição.

O míssil nem sequer explodiu, mas o seu impacto foi suficientemente forte para arrasar três edifícios pertencentes a uma mesma família, os Abdel Qader. Cinco membros dessa família morreram no bombardeamento. Outras habitações próximas ficaram danificadas. 

A diretora-geral da UNESCO já condenou o ataque. Irina Bokova manifestou-se "profundamente perturbada pela perda de vidas humanas, assim como pelos danos infligidos a uma das jóias mais antigas do mundo da paisagem urbana islâmica". A responsável máxima pelo organismo das Nações Unidas para a área da educação e cultura apelou a todos os envolvidos no conflito para que protejam o património cultural do Iémen.

Saná é uma das cidades mais antigas do mundo com habitação permanente. Os vestígios mais antigos têm cerca de 2.500 anos e há construções em uso que já estão de pé há mais de mil. A Cidade Velha tem cerca de 6.500 edifícios aglomerados numa malha urbana muito densa, característica do urbanismo árabe mais antigo. Estas imagens da UNESCO mostram bem a beleza e a originalidade da arquitetura de Saná.

O Iémen vive uma guerra civil desde março deste ano. De um lado, estão os rebeldes Houthi, alegadamente apoiados pelo Irão, que controlam a capital; do outro está o anterior governo, instalado na cidade de Aden, que conta com o apoio de uma coligação de países liderada pela Arábia Saudita e que tem o apoio dos Estados Unidos.

As duas fações vão encontrar-se este domingo, em Genebra, na Suíça, para negociações de paz, mas as probabilidades de um acordo ser alcançado não são grandes.