Mais de 30 milhões de euros vão ser investidos por quatro entidades distintas em obras que vão desviar para a Estação de Tratamento de Alcântara os esgotos de mais de cem mil habitantes actualmente despejados no Tejo.

O Plano integrado de Intervenção no Terreiro do Paço, apresentado esta terça-feira e que deverá estar concluído em 2010, abrange empreitadas a cargo da a Câmara de Lisboa, da SIMTEJO, EPAL e Sociedade Frente Tejo.

Na cerimónia de apresentação do plano, o presidente da autarquia, António Costa, considerou «um escândalo» o facto de actualmente os esgotos de mais de 100.000 habitantes de Lisboa serem despejados directamente no Tejo e sublinhou a importância e a urgência da obra.

«Estas intervenções vêm acabar com algo que se não fosse invisível era um dos maiores escândalos nacionais», disse António Costa, sublinhando que, para uma cidade ribeirinha como Lisboa, «é difícil encontrar obra que devesse ser mais prioritária do que esta».

Costa criticou o facto de esta obra não ter sido feita antes, questionando: «Como foi possível o Terreiro do Paço ter estado durante anos em obras e não se ter aproveitado para fazer esta intervenção?».