A Impresa anunciou esta quarta-feira que vai ter perdas de 5,8 milhões de euros com a venda da editora discográfica iPlay, alienada à Fantasy Land e Lemon por um euro, segundo um comunicado divulgado na Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o grupo de media, o «impacto contabilístico resultante da alienação da iPlay [atinge] 5,8 milhões de euros, dos quais 1,7 milhões de euros são referentes a imparidade e 4,1 milhões a prejuízos do exercício.

O impacto será «registado em actividades descontinuadas nas contas» de 2008.

Questionada pela Lusa, fonte da Impresa remeteu mais explicações para a apresentação das contas anuais da Impresa, agendada para quinta-feira.

Recorde-se que o grupo anunciou terça-feira ter vendido a iPlay por um euro à Fantasy Land e Lemon, num acordo que incluiu o licenciamento pela SIC, por um período de 4 anos, dos produtos fonográficos e ou videográficos sobre os quais o canal de televisão tenha direitos.

Do catálogo da editora fazem parte nomes como Amália Rodrigues, os Deolinda, Mundo Cão e Rita Redshoes.

Desde 2006, a iPlay (antiga Som Livre) passou a representar o catálogo das Edições Valentim de Carvalho, onde se destacam, entre outros, nomes como Carlos Paião, Alfredo Marceneiro, Carlos Paredes, e outros mais recentes, como Marco Paulo, Boss AC, Mafalda Veiga, João Pedro Pais, Wraygunn ou Mind da Gap.

A funcionar há 14 anos, a editora foi adquirida em 2007 à Globo pela SIC.