A praça nacional segue a valorizar, em contra-ciclo com as suas pares europeias. EDP e Jerónimo Martins contribuem para os ganhos em Lisboa.

O índice PSI20 soma 0,65 por cento para os 5.786,34 pontos, com 10 títulos a negociarem em alta e outros 10 em baixa.

Na restante Europa, os principais índices seguem negativos, à excepção da praça inglesa que soma 0,3%, no dia em que os futuros norte-americanos apontam para uma abertura em baixa. Esta sexta-feira vão ser divulgados novos números relativos ao desemprego daquela que é a maior economia do mundo.

EDP com mega-lucro, reage

Por cá, destaque para a EDP que dispara 4,04% para os 2,44 euros, depois de ontem ter apresentado os resultados anuais mais elevados de sempre, acima de 1.000 milhões de euros, relativos a 2008.

Ainda no sector, a EDP Renováveis trepa 1,72% para os 5,85 euros e a Galp soma 1,07% para os 8,49 euros. Também a REN progride 0,06% para os 3,05 euros.

JM dispara com resultados «poderosos»

Destaque para os títulos da Jerónimo Martins que crescem 2,72% para os 3,20 euros. A retalhista lucrou 163 milhões de euros em 2008, o que representa um aumento superior a 24%. Os analistas já classificaram estes resultados como «poderosos».

Além disso, a empresa anunciou que vai investir um total de 300 milhões de euros em novas lojas: 150 na Polónia e cerca de 7 em Portugal.

Nota positiva ainda para a Brisa que soma 1,61% para os 4,41 euros e para a Cimpor que avança 1,5% para os 3,16 euros.

BCP ainda desliza, mas cota agora nos 59 cêntimos

A impedir a bolsa de maiores ganhos está o BCP, que continua sob pressão na bolsa. As acções do banco seguem a perder 0,33% para os 59 cêntimos. Recorde-se que ontem os títulos do banco chegaram mesmo a tocar um mínimo histórico, devido a uma nota de casa de investimento internacional, a Merrill Lynch, que retomou a cobertura das acções do BCP com um preço-alvo de 56 cêntimos, a avaliação mais baixa de sempre atribuída aos títulos do BCP.

Os analistas da instituição consideram que a depreciação da divisa polaca face ao euro e o défice no fundo de pensões do banco devem continuar a penalizar o capital deste banco e o que é certo é que as acções do BCP reúnem já uma desvalorização de 27% em 2009, depois do tombo de 69% do ano passado. Um recuo que retirou mil milhões de euros em valor de mercado ao BCP, que está agora avaliado em 2,79 mil milhões de euros.

Na restante banca, o BES desce 1,81% para os 4,71 euros mas o BPI soma 0,07% para os 1,36 euros.

A travar maiores subidas está ainda a Portugal Telecom que desliza 0,08% para os 6,09 euros e a Sonaecom que tomba 0,75% para os 1,04 euros. A empresa vai anunciar os seus resultados de 2008 na próxima segunda-feira.

No entanto, quem mais perde é a Sonae Indústria que derrapa 3,56% para os 1,19 euros.