O secretário-geral do PS recusou-se, este sábado, a fazer declarações políticas à entrada para a reunião da Comissão Nacional, que decidirá se este partido avança para um processo de eleições diretas para a liderança e um congresso extraordinário.

«Estou muito bem disposto. Bom dia a todos», limitou-se a dizer António José Seguro aos jornalistas à chegada ao hotel do Vimeiro, onde os socialistas reunião o órgão máximo entre congressos.

A decisão de haver ou não eleições diretas e congresso extraordinário do PS - tal como reclama o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que se disponibilizou para avançar para a liderança - depende em larga medida de António José Seguro.

O processo interno no PS pode ser aberto por vontade do secretário-geral, por aprovação por maioria pela Comissão Nacional ou por proposta de mais de 50 por cento das federações do partido desde que representem mais de metade do total de militantes.