Puxando pela memória, "é só fumaça!", como afiançava o almirante Pinheiro de Azevedo, no chamado Verão Quente de 1975. Transposta a situação para a atualidade política, o Presidente da República afasta o cenário de crise política, após as reuniões que fez com os partidos e parceiros sociais.

A crise política evaporou-se do panorama político português tal como tinha aparecido", considerou Marcelo Rebelo de Sousa, esta quinta-feira, durante uma visita do Instituto Universitário Militar, em Lisboa.

Basta terem ouvido aquilo que disseram os partidos e os parceiros sociais à saída das audiências para terem percebido que não há crise política e não vai haver crise política", declarou o Presidente da República portuguesa.

Sem preocupações políticas na atualidade, Marcelo também não antevê problemas com o próximo Orçamento do Estado.

Não vejo nenhuma razão de tensão adicional quanto ao Orçamento de 2017", declarou o Presidente da República.

Não ouvi nenhum [partido] falar em qualquer hipótese de retirar o apoio ou de haver qualquer cenário, mesmo vago, de crise a propósito do Orçamento de 2017. Não ouvi!", acrescentou o Presidente da República, lembrando haver outros problemas que requerem mais atenção.

Nesse particular estou muito tranquilo. Fossem todos os problemas iguais a esse. Há outros problemas no mundo, como em Portugal, mas não esse", concluiu.