Os cerca de 200 trabalhadores da Oliva ainda não receberam os subsídios de Natal nem os bónus de desempenho que estão em falta desde Abril de 2008, «num montante significativo» que o Sindicato dos Metalúrgicos ainda não conseguiu apurar.

No caso dos bónus, a alegada irregularidade deve-se ao facto da administração da empresa metalúrgica de S. João da Madeira «ter transferido os respectivos valores para os aumentos salariais de 2008», revela Adelino Nunes, dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de Aveiro, salienta a Lusa.

Esse responsável afirma que a medida «é ilegal» por duas razões: «Os bónus estão previstos no regulamento interno da empresa e, independentemente disso, a própria Lei diz que todas as gratificações pecuniárias pagas com carácter regular, mensal ou outro, são parte integrante da retribuição».

«Os bónus não podem, portanto, ser retirados ou transformados noutra coisa», continua o dirigente sindical.

O montante total da dívida ainda está por determinar porque «muitos dos trabalhadores da Oliva não estão sindicalizados e, como o Sindicato não tem informação de quanto ganham, não é fácil apurar esse valor ao cert.

Adelino Nunes adianta, contudo, que «ainda estão em causa algumas dezenas de milhar de euros», considerando que «o bónus mínimo é de 9,5 euros por mês, por trabalhador, mas pode chegar aos 200 euros ou mais, no caso dos funcionários mais antigos».