O Banco Espírito Santo (BES) vai propor o congelamento dos salários dos quadros dirigentes.

Esta é uma das medidas que vai estar em cima da mesa na próxima Assembleia-geral, marcada para o dia 16 de Março, revela a instituição financeira em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A ideia, segundo o banco liderado por Ricardo Salgado é implementar um conjunto de medidas de contenção de custos, tendo em conta o actual contexto de crise financeira.

Bancos lucram 4,7 milhões por dia

A política de remunerações dos quadros dirigentes «tem como princípio orientador o não aumento da remuneração fixa e a redução em 10% da remuneração variável, relativamente ao montante atribuído em 2008, que reduziu 34% relativamente a 2007».

O banco esclarece ainda que «também não estão considerados para efeito de orçamento quaisquer promoções ao quadro dirigente, quer com origem interna, quer por contratações externas ao banco».

Bancos alertam: «Portugal tem três crises à vista»

As acções do banco fecharam a cair 4,60% para os 4,64 euros.