A Câmara dos Representantes norte-americana aprovou quarta-feira um projecto de lei de orçamento em atraso para o ano 2009 de um montante de 410 mil milhões de dólares (322 mil milhões de euros), refere a Lusa.

A Câmara adoptou este projecto de lei, conhecido como «Omnibus» por 245 votos contra 178.

O documento contém nove secções para o funcionamento de diferentes ministérios, agências federais e Congresso, para o ano orçamental 2009 que começou a 01 de Outubro de 2008.

Este texto substitui o que tinha sido rejeitado pelo Congresso sob a administração do ex-presidente George W. Bush e que previa cortes nos domínios da saúde, da educação ou ainda da investigação.

O texto compreende, por exemplo, a soma de 20,5 mil milhões (16,1 mil milhões de euros) para o departamento da Agricultura, dos quais dois mil milhões (1,5 mil milhões de euros) para ajudar a Food and Drug Administration (FDA) a melhorar a segurança alimentar.

Uma disposição estipula assim que o ministério da Agricultura não possa autorizar a importação de aves de capoeira potencialmente perigosas da China.

58 milhões para a Justiça

Da soma aprovada, 57,7 mil milhões (45,3 mil milhões de euros) são atribuídos à Justiça, 7,1 mil milhões (5,5 mil milhões de euros) dos quais para o FBI (polícia federal) que vai admitir 280 novos agentes e 271 analistas.

Os Negócios Estrangeiros são dotados de 36,6 mil milhões (28,7 mil milhões de euros), 2,4 mil milhões (1,8 mil milhões de euros) dos quais para Israel e 1,5 mil milhões (1,1 mil milhões de euros) para o Egipto, com o objectivo de melhorar a segurança no Médio Oriente.

Esta votação da Câmara acontece duas semanas depois da aprovação pelas duas câmaras do Congresso de um pacote de medidas de 787 mil milhões de dólares (618 mil milhões de euros) destinado a relançar a economia norte-americana.

O Senado deve por sua vez aprovar este texto nos próximos dias.

Republicanos sem poder para travar projecto de Lei

Os republicanos, minoritários nas duas câmaras, não têm os votos necessários para travar o projecto de Lei de orçamento e criticam estas novas despesas orçamentais.

O líder da minoria republicana da Câmara, John Boehner, qualificou quarta-feira num vídeo difundido na Internet como «completamente louco» o facto de gastar 410 mil milhões de dólares para o orçamento 2009.

¿Necessitamos de lucidez nas despesas aqui em Washington¿, disse.