A bolsa em Lisboa segue a negociar em terreno negativo, contrariando a tendência das restantes praças europeias, depois do Banco Mundial ter alertado que a economia global deverá sofrer, este ano, a primeira contracção desde a Segunda Guerra Mundial.

O DAX soma 1,32%, o CAC valoriza 0,55%, o IBEX trepa 0,23% e o FTSE ganha 0,37%.

O PSI20 cai 0,56% para os 5.722,29 pontos

Por cá, a penalizar estão os títulos da energia. A Galp tomba 2,20% para os 8,59 euros, a EDP perde 0,61% para os 2,44 euros, a EDP Renováveis cai 0,87% para os 5,64 euros e a REN derrapa 0,13% para os 3,08 euros.

Cartão vermelho também para a Brisa que perde 0,88% para os 4,38 euros.

Banca no verde

A contrariar esta tendência está a banca. O BPI ganha 1,40% para os 1,37 euros, o BES soma 1,14% para os 4,70 euros e o BCP trepa 1,38% para os 0,58 euros.

O banco de Santos Ferreira fechou a sessão de ontem a cair mais de 7%. Por outro lado, um fundo vendeu mais de 3 milhões de acções da instituição financeira a descoberto.

Destaque ainda para a Sonaecom que trepa 0,89% para os 1,13 euros. A empresa revelou ontem lucros na casa dos 5 milhões de euros e disse que está disposta a contratar mais colaboradores, mas não a manter o montante de investimentos.

Fora do principal índice bolsista, o Banif perde 5,17% para os 1,10 euros, depois de ter anunciado que ia aumentar o capital social para 500 milhões de euros.

Nos Estados Unidos, a sessão fechou ontem no vermelho, depois de o multimilionário Warren Buffett ter dito hoje que a economia do país «caiu de um precipício».