A bolsa tem vindo a agravar as suas perdas, depois da abertura com uma quebra a rondar os meio por cento. Neste momento, o recuo é já de cerca de 1,46%, abaixo dos 5.888,04 pontos.

Há apenas quatro títulos no verde e, entre eles, está a Portugal Telecom, que escala 0,81% para 6,32 euros, e a EDP Renováveis, que está a reagir positivamente ao anúncio dos seus resultados anuais que apontam para os 104 milhões de euros no total de ano, com 46 milhões só no último trimestre.

Os dados são acima do estimado e a empresa segue a somar agora com uma valorização mais ligeira, na ordem dos 0,44% para os 5,67 euros.

A banca continua a ser o principal factor responsável pelo saldo negativo: o BPI perde 4,73% até aos 1,41 euros, o BCP 5,11% até aos 61,3 cêntimos, e o BES recua 3,08% para 4,72 euros. Recorde-se que os cinco maiores bancos portugueses lucraram 4,7 milhões de euros por dia em 2008. No entanto, os títulos estão a sofrer com os maus resultados anunciados por instituições financeiras lá de fora, nomeadamente do Lloyds Banking Group a propósito do HBOS e do Royal Bank of Scotland.

A Brisa, que apresenta os seus resultados de 2008 esta tarde, está também a desvalorizar 2,55% para 4,58 euros.

Já a EDP perde 0,61 até aos 2,46 euros e a Galp Energia 0,86% para 8,58 euros.

Na restante Europa e no dia em que se soube que há mais de 13 milhões de desempregados na Zona Euro, os mercados financeiros estão a ser ainda mais penalizados: as perdas são entre os 3 e os 3,7%. O FTSE tomba 3,22%, o CAC 2,96%, o IBEX 3,19% e o DAX 3,66%.

Já nos Estados Unidos, e apesar da quebra desta quinta-feira, os mercados devem abrir novamente em baixa.