As acções do Banco Espírito Santo (BES) voltaram a ser as preferidas dos fundos de investimento mobiliário nacionais.

«No mercado nacional o BES manteve-se como o título mais procurado, com um peso de 16,5 por cento na carteira dos fundos (12,1% em Janeiro) que aumentaram a exposição a estes títulos em 37,5% para 76,5 milhões de euros», refere o comunicado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As da Zon Multimédia aparecem em segundo lugar nas preferências dos fundos, com um peso de 10,2%, mas o valor investido nestas acções diminuiu 6,5% para 47,1 milhões de euros.

O valor sob gestão dos organismos de investimento colectivo em valores mobiliários (OICVM) caiu 5,6% para 9.450,4 milhões de euros em Fevereiro deste ano, o que representa menos 558,2 milhões de euros que em Janeiro último (10.008,6 milhões de euros).

Já o valor sob gestão dos fundos especiais de investimento registou um aumento de 0,1% para 3.834,9 milhões de euros (3.829,9 milhões de euros no mês anterior).

No mercado internacional as acções perferidas foram o Banco Bradesco (30,5%), a Total Efina (4%) e a Telefonica (3,1%).

Os principais países de destino das aplicações dos fundos continuaram a ser o Luxemburgo (com 36,2% da totalidade dos investimentos), a Irlanda (18,2%) e o Reino Unido (11,8%).