A Peugeot Citroën (PSA) de Mangualde garantiu esta quinta-feira que vai manter aberta a fábrica portuguesa de Mangualde, apesar da crise no sector.

«Essa notícia não tem qualquer fundamento. Não há qualquer indício desse tipo de situação», disse à Lusa fonte do departamento de comunicação da fábrica do grupo PSA, comentando uma notícia que o jornal Diário Económico publicou.

O mesmo jornal, que cita uma fonte não identificada do grupo francês, afirma que a fábrica portuguesa pode não escapar a um encerramento definitivo depois de ter dispensado 400 trabalhadores temporários.

«Não faz sentido nenhum. Estamos todos (administração e trabalhadores) a trabalhar num projecto para a fábrica», contrapôs a fonte da empresa.

«Se o mercado não recuperar ligeiramente vamos ter que encerrar algumas fábricas por tempo indeterminado, e a de Mangualde pode ser uma delas. Estamos a estudar os efeitos deste encerramento e se tal acontecer é uma consequência inevitável da actua crise».

A fábrica da Peugeot Citroën de Mangualde tem a produção suspensa até segunda-feira, uma semana de paralisação iniciada a 2 de Março, justificada com a quebra no sector automóvel.

A unidade emprega 800 funcionários, dos 1.200 que tinha ao serviço em 2008, depois de ter dispensado 400, a grande maioria trabalhadores temporários.

Segundo os termos do acordo entre a administração e os trabalhadores, durante o período de suspensão da produção estes «recebem a totalidade do vencimento», assegurou a fonte do grupo PSA.