O presidente do conselho de administração da Jerónimo Martins, Alexandre Soares dos Santos, admitiu que «gostaria que a empresa ficasse 100% na família, como dita a velha tradição», uma vez que, a multinacional holandesa Ahold poderá vender os 49% que detém na distribuidora.

O responsável salientou, no entanto, que para adquirir esta posição não estaria disposto «a pôr em causa o equilíbrio financeiro da empresa», revelou durante a apresentação dos resultados do grupo.

«É preciso ter em conta a actual situação financeira e a situação económica mundial. 2009 é um ano de cautela, temos de andar todos de gabardine para não nos constiparmos», revelou.

Jerónimo Martins vai investir 300 milhões em novas lojas

Sócrates está «obcecado com PCP e BE»

Lucros da Jerónimo Martins sobem 24%

Soares dos Santos elogiou também as relações que detém coma Ahold, garantindo que «não há qualquer atrito ou fricção».

Em relação ao possível preço de venda, o responsável revelou ainda que não foi nada acordado, mas vão ter de chegar a acordo em relação a um valor justo.

Em relação a «timing», Soares dos Santos revelou que «até ao final do ano tem muito tempo»

Recorde-se que, o grupo holandês revelou esta intenção de venda no Verão passado, tendo a posição sido avaliada em 507 milhões de euros.

A Jerónimo Martins apresentou, esta sexta-feira, os resultados de 2008, em que os lucros subiram 24,3% para os 163,2 milhões de euros. Um resultado que superou as estimativas dos analistas.