A Inspecção-Geral de Finanças (IGF) detectou divergências entre as compras e as vendas declaradas pelos hospitais e os respectivos fornecedores no valor de 283,2 milhões de euros, de acordo com um relatório do Ministério das Finanças.

O relatório de Combate à Fraude e Evasão Fiscais de 2008, a que a Lusa teve acesso, e que o ministro das Finanças vai apresentar esta tarde, revela que a IGF encontrou aquelas diferenças em resultado das auditorias efectuadas.

Foram ainda encontradas nas investigações junto dos hospitais «compras de 22,2 milhões de euros, efectuadas por hospitais a fornecedores cessados em sede fiscal», ou seja, a empresas que fiscalmente não existem.

As operações realizadas pela IGF junto de alguns grupos económicos identificaram «situações de evasão fiscal com impacto global no apuramento do lucro tributável de cerca de 46 milhões de euros, caracterizadas pela dedução indevida de menos-valias fiscais, pelo incumprimento do regime de preços de transferência e do princípio da especialização dos exercícios».

No sector financeiro, foram encontrados 35,4 milhões de euros de IVA não liquidado, «resultante de irregularidades no método de afectação».

No sector bancário, a IGF foram encontradas deduções indevidas de prejuízos no valor de 2,57 milhões de euros.

A «omissão ao IRS e ao IRC de, respectivamente, 2,57 milhões de euros e 63 milhões de euros, relativamente a rendimentos de prestação de serviços por parte de entidades habilitadas a declarar junto das Alfândegas» e «isenções indevidas de IRC de 25 milhões de euros no sector das associações empresariais» são também resultados das auditorias de 2008.