A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a investigar várias operações onde considera existirem indícios de crimes de manipulação de mercado, incluindo-se aqui algumas operações de vendas curtas, conhecidas como short selling (onde se ganha dinheiro apostando na queda de acções), disse o presidente da entidade, Carlos Tavares.

Em entrevista à Reuters, o responsável lembra que «é ilegal usar o short-selling como instrumento de manipulação de mercado para, deliberadamente e em proveito próprio, fazer cair a cotação de um título».

«Isso é crime. Por isso, os reguladores não podem deixar de investigar operações de manipulação de mercado», refere, acrescentando que tem, «neste momento, sob investigação um número bastante significativo de operações, não todas de short-selling», sendo que «vários alguns casos são de fixação de preço no fecho».

A CMVM está também de olhos postos na divulgação de notas de análise de casas de investimento e na produção subsequente de notícias com base nas mesmas, tendo em mãos «alguns casos de suspeitas de que informação privilegiada foi transmitida a alguns analistas por emitentes. Mas, estes casos não são fáceis de provar».