O antigo administrador da SLN Francisco Sanches declarou esta terça-feira que o empresário libanês El Assir «foi um cliente trazido para o BPN por Dias Loureiro» e que o BPN Cayman concedeu créditos a várias das suas empresas «sem garantias reais».

Francisco Sanches declarou aos deputados da Comissão de inquérito ao BPN que os empréstimos concedidos a várias das empresas de El Assir através do BPN Cayman atingiam valores de «oito milhões de euros», refere a Lusa.

Oliveira e Costa vingava-se

Dias Loureiro promete novas revelações

O empresário libanês já tinha estado envolvido, tal como Dias Loureiro, num negócio com empresas tecnológicas de Porto Rico que resultaram em prejuízos de cerca de 38 milhões de euros para o grupo SLN.

«El Assir foi indicado ao BPN por Dias Loureiro. Há questões que desconheço das relações com El Assir», disse hoje Francisco Sanches.

Aumento das imparidades é «inexplicável»

Conta da SLN regista um dólar por venda de 35 milhões

Segundo contou o antigo administrador, El Assir era proprietário da empresa La Grangilla que detinha um activo em Madrid (um imóvel) que foi dado como garantia ao BPN por um crédito concedido ao empresário libanês.

A empresa La Grangilla foi associada em audições anteriores da comissão de inquérito ao Excellence Asset Fund, o fundo da SLN que serviu de suporte aos negócios realizados pelo grupo com empresas tecnológicas de Porto Rico.