Acelerar as ligações ferroviárias de alta velocidade entre Portugal e Espanha e outras grandes obras públicas faz parte dos esforços e medidas para a recuperação económica, afirmou esta quarta-feira a secretária de Estado dos Transportes.

«Todos temos obrigação de trabalhar para acelerar os prazos o mais possível, bem como tudo o que faça parte de um plano de recuperação económica», disse à agência Lusa em Madrid Ana Paula Vitorino.

Em Madrid para contactos com o governo espanhol, Ana Paula Vitorino afirmou que a vontade portuguesa de adiantar os prazos de conclusão do TGV serão transmitidos ao lado espanhol na próxima reunião da comissão de trabalho bilateral para a alta velocidade.

«Mas não façamos disso uma situação especial. Do lado espanhol parte já está em construção e eles próprios têm ficado um pouco condicionados pelos nossos prazos. Eles têm a possibilidade de concluir as obras mais cedo», disse.

A secretária de Estado disse terça-feira à Lusa em Bruxelas que o Governo vai tentar antecipar em seis meses, para o primeiro semestre de 2010, o arranque da construção do TGV com o objectivo de criar «mais cedo mais postos de trabalho».

«Se conseguir-mos colocar (o início das obras) mais cedo, nem que seja no final do primeiro semestre de 2010, teremos conseguido um avanço de seis meses», disse, assegurando que «o grande objectivo é começar a obra o mais cedo possível».

Para Ana Paula Vitorino os esforços para acelerar obras públicas estão em consonância tanto com as política de Portugal como da União Europeia para estímulo da economia.

A secretária de Estado relembrou ainda que o processo «já está em marcha» e que o executivo está em negociação com os dois melhores concorrentes para o primeiro troço de obras-entre o Poceirão e Caia-estando em curso os estudos para a construção da estação internacional da fronteira.