O lucro da EDP deve ter subido 19 por cento no ano passado, face a 2007, para 1.076 milhões de euros, de acordo com a média das estimativas dos analistas contactados pela agência Lusa.

As previsões apontam para um lucro entre os 1.057 milhões de euros esperados pelo Espírito Santo Research (ESR) e os 1.087 milhões de euros previstos pelo Banesto e pelo Exane BNP Paribas.

As estimativas para o EBITDA (resultado antes de impostos, amortizações, juros e depreciações) oscilam entre os 3.047 milhões de euros esperados pelo ESR e os 3.095 milhões de euros previstos pelo Banesto.

Resultados suportados por EBITDA da EDPR

Os analistas consideram que os resultados serão suportados pela contribuição do EBITDA da EDP Renováveis e pelos resultados na área da distribuição ibérica que cresceram acima dos 60 por cento e que se devem à recuperação dos desvios tarifários, sobretudo, em Portugal.

Os analistas esperam ainda uma contribuição positiva em termos de ganhos de capital, devido a importantes mais valias com a entrada em Bolsa da EDP Renováveis.

Lucros da EDPR disparam para 46 milhões

Do ponto de vista negativo, esperam o reconhecimento de imparidades (prejuízos potenciais) com a desvalorização das posições accionistas que a EDP detém no BCP, de 3,23 por cento, e na Sonaecom, de 7,96 por cento.

Espera-se ainda que o aumento da dívida, que deverá registar 13,9 mil milhões de euros no final de 2008, sem o défice tarifário gerado no quarto trimestre, piore bastante os rácios financeiros.