O investimento directo português em Cabo Verde aumentou 7.593,7 por cento nos primeiros 11 meses de 2006 para 2007, indicam os dados mais recentes da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), cita a Lusa.

É neste contexto que o primeiro-ministro português, José Sócrates, efectua uma visita oficial de três dias a Cabo Verde, trazendo consigo nove ministros e sete secretários de Estado para, por um lado, consolidar as relações comerciais já existentes e abrir portas a outras vertentes, nomeadamente na das energias alternativas.

Segundo os números, e tendo em conta a variação homóloga, até Novembro de 2006, Portugal tinha efectuado investimentos directos no montante de dois milhões de euros, subindo para 192 milhões em idêntico período de 2007.

Exportações sobem 14% de Janeiro a Novembro de 2008

Já de Janeiro a Novembro de 2008, as exportações portuguesas aumentaram 14,2%, para os 238,9 milhões de euros, crescimento menor do que as importações, que subiram 27,6% em relação ao mesmo período de 2007.

As exportações portuguesas para Cabo Verde, país que ocupava, em fins de 2007, a 26ª posição do mercado enquanto destino do investimento externo (0,1%), tem vindo a registar aumentos sucessivos desde 2003, quando atingiram 136,7 milhões de euros.

Quanto às importações, houve um crescimento de 2003 para 2004, altura em que se atingiu o pico, com 10,8 milhões de euros, tendo-se registado sucessivos decréscimos, que atingiram o ponto mais baixo nos primeiros 11 meses de 2007, com 6,6 milhões de euros, subindo para os 8,4 milhões de Janeiro a Novembro de 2008.

Nos primeiros 11 meses de 2008, o coeficiente de cobertura das exportações manteve-se a um nível elevado, 2.841,6% favorável a Portugal, embora tenha decrescido a partir dos 3.173,8%.

Saldo da balança comercial entre países tem vindo a crescer

O saldo da balança comercial entre os dois países também tem vindo a crescer desde 2003, passando dos 128 milhões de euros nesse ano para os 230,5 milhões de Janeiro a Novembro de 2008.

Dados referentes à variação entre 2006 e 2007 sobre os sectores de actividade, indicam que o grande aumento se situou nas Actividades Financeiras, sobretudo no sector da banca, com uma variação de 398,3%, seguido pelas indústrias transformadoras, com 60,9%.

No pólo oposto, e em idêntico período, a variação negativa é substancial no sector dos Transportes, Armazenagem e Comunicações, que deixou de operar (menos 100%), bem como nas Actividades Imobiliárias, Alugueres e Serviços às Empresas (82,2%).

2008 será um «bom ano»

No entanto, segundo os dados provisórios referentes a 2008, fonte do AICEP disse à Agência Lusa que, a este respeito, ambos os sectores recuperaram os índices negativos, perspectivando-se «um bom ano».

Sobre o investimento directo português em Cabo Verde entre 2003 e 2007 por tipo de operação, o valor médio mais elevado, em percentagem, regista-se na área dos Créditos, Empréstimos e Suprimentos (49%), seguido pela dos Lucros Reinvestidos (27%), pela do Capital de Empresas (22%) e, por fim, pela das Operações sobre Imóveis (2%).