O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, disse esta terça-feira no Parlamento que não é possível subir pensões e não aumentar os anos de contribuições, adiando a reforma.

«É vender uma ilusão pensar que se pode manter a vida contributiva e aumentar o valor de uma pensão», disse o ministro na audição que decorreu no Parlamento.

Vieira da Silva sublinhou que essa não é a tendência que está a ser seguida por nenhum país, sendo que o aumento da idade da reforma «vai no sentido da reorganização da própria vida».

Antes, o membro do Executivo sublinhou que a reforma da Segurança Social permitiu ao país passar a ter «pensões viáveis» e assegurar os seus pagamentos por várias décadas.

«Por isso já não somos considerados um país de alto risco», sublinhou Vieira da Silva na mesma comissão.