A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) detectou desde o início do ano cerca de 100 infracções laborais em empresas em dificuldades, tendo feito 14 participações criminais, disse esta quarta-feira à Lusa o Inspector-Geral de Trabalho.

Paulo Morgado de Carvalho adiantou que desde Outubro de 2008 até ao dia 13 de Março foram acompanhadas 630 empresas e feitas 19 participações-crime, 14 das quais desde o início deste ano.

Desde Outubro, os inspectores estão a acompanhar com maior intensidade empresas onde há suspeita, indícios ou denúncia de práticas laborais irregulares, situações que tendem a aumentar num contexto de crise.

Segundo o inspector-geral, as empresas-alvo destas acções são de vários sectores e de diferentes dimensões, não sendo possível avançar uma tendência para este tipo de ilicitudes.