O ministro do Trabalho e da Segurança Social disse esta terça-feira no Parlamento que, com as recentes medidas em torno do subsídio de desemprego, dos actuais beneficiários, 55 por cento tem maior prazo de subsídio agora do que na legislação anterior.

Por outro lado, apenas 8% ficaram a perder com as recentes mudanças.

«Estamos focados e canalizamos todos os recursos possíveis para manter o emprego que existe», disse Vieira da Silva aos jornalistas, à saída da audição a que foi sujeito no Parlamento.

Quanto aos efeitos da actual crise financeira, Vieira da Silva sublinhou que a principal preocupação do Governo passa também por «dizermos aos desempregados que podem ter uma nova oportunidade».

Manter vida contributiva e subir pensões «é ilusão»

Na audição desta terça-feira, o ministro do Trabalho lembrou ainda que apesar das cessações de contratos, têm havido igualmente «muitas dezenas de milhar» de contratações. Em Janeiro, registaram-se 54 mil novas inscrições na Segurança Social.

Lay-off abrange mais de 4 mil

O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social disse ainda que, este ano, já foram requeridos 74 processos de lay-off (suspensão laboral temporária), envolvendo 4.258 trabalhadores. Este valor é já por si muito superior ao total de 2008, que totalizou pouco mais de 2 mil pessoas.

Ao nível da segurança social, só em Janeiro entraram neste processo um total de 1.511 trabalhadores, aos quais se seguiram os restantes 2.747 em Fevereiro.