Os países em desenvolvimento enfrentam uma falta de liquidez superior a 700 mil milhões de dólares (552 mil milhões de euros) para pagar as importações e cumprirem o pagamento das dívidas este ano, afirmou o Banco Mundial, cita a Lusa.

A economia mundial está em contracção pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, com um crescimento de pelo menos 5 pontos percentuais abaixo do seu potencial, refere o Banco Mundial num relatório divulgado este domingo.

Classe média aperta o cinto

«Precisamos de reagir em tempo real perante uma crise crescente que está afectar as pessoas nos países em vias de desenvolvimento», afirmou o presidente do Banco Mundial Robert Zoellick em comunicado.

Governos têm que agir para evitar agitações

O responsável diz que os governos e as instituições de crédito têm que agir para «evitar agitações políticas e sociais».

O comércio mundial deverá registar este ano o seu maior declínio em 80 anos, com a Ásia a sofrer a queda mais acentuada, afirmou o banco.

A produção industrial mundial deverá este ano ficar 15 por cento abaixo dos níveis de 2008.

Crise alimentar continua a afectar mais pobres

O relatório refere que 94 dos 116 países em vias de desenvolvimento estão a registar um abrandamento económico, com a pobreza a aumentar em 43 países.

A consequência será o aumento da dependência da ajuda externa, afirma o Banco Mundial.