Os lucros do banco Montepio caíram cerca de 45 por cento para 35,3 milhões de euros em 2008.

De acordo com dados da instituição, o activo líquido subiu 6,8% para 17.559,4 milhões de euros, enquanto o produto bancário cresceu 2% para 410,1 milhão de euros.

«Não obstante as dificuldades do contexto que têm condicionado a actividade, a criação de valor para os associados manteve-se como propósito central da gestão. Não alcançando os objectivos propostos para o exercício, conseguiu-se, ainda assim, obter níveis de desempenho que possibilitam melhorar a capacidade competitiva no futuro próximo», refere o banco em comunicado.

A margem financeira cresceu 1,7% para os 333,8 milhões de euros, enquanto o cash flow do exercício recuou dos 54,4 milhões para os 31,2 milhões de euros.

Com um capital próprio de 342,173 milhões, o Montepio contou ainda com um crescimento de 4,8% no crédito a clientes.

Menos 17 funcionários

Em matéria de gastos operacionais, o banco somou 254 milhões de euros. «Isolado o efeito da dotação extraordinária ao Fundo de Pensões por via das reformas antecipadas (9,8 milhões de euros), os gastos operacionais registaram um valor de 244,2 milhões de euros, o que significa uma variação nula face a 2007», diz o banco.

A rede de balcões cresceu em 20 espaços para um total de 320, enquanto que o número de trabalhadores recuou das 2.989 para 2.972 pessoas.

O Rácio de Solvabilidade fixou-se em 11,67% e o Tier I elevou-se para os 8,21%. Para este valor, informa o banco, «contribuíram o aumento de capital institucional em 25 milhões de euros e as características de grande rigor e prudência na gestão de activos».