A DECO acredita que, além da CGD, mais bancos podem ter retirado dinheiro das contas dos clientes sem o devido aviso, soube a Agência Financeira.

Em causa está um erro de cálculo nas contas com regime bonificado ao crédito à habitação o que obrigou a um ajuste. Esse erro foi identificado pela CGD. No entanto, cerca de 50 clientes queixaram-se à associação por este banco ter retirado dinheiro das contas sem ter avisado previamente que o ia fazer. Houve até quem ficasse com a conta a descoberto, avançou a TSF esta manhã.

Minuta para clientes exigirem dinheiro

Deco diz que CGD retirou dinheiro de contas sem aviso

«Supomos que tenho acontecido também com outros bancos. Já nos constou, mas ainda não temos provas», afirmou à AF o secretário-geral da DECO, Jorge Morgado.

No que toca à CGD, Jorge Morgado explicou que estes clientes foram alertados para a situação, mas que muitos deles só receberam a carta em Março (apesar de datada de 20 de Fevereiro), quando o dinheiro foi retirado das suas contas no final de Fevereiro.

Jorge Morgado denunciou a forma como alguns clientes foram avisados desta situação, muitos deles já depois de o dinheiro ter sido retirado das suas contas com uma carta que só chegou no final de Fevereiro, princípios de Março.

«É dramático porque estão em causa dezenas e centenas de euros levantados no final do mês, quando os clientes receberam os salários», apontou.

Ora, o que a DECO tinha sugerido era que houvesse uma «negociação, caso a caso, entre os bancos e as famílias» no acerto deste erro.

Contactada pela AF, fonte oficial da CGD disse que «a situação criada pelo automatismo de débito único no montante do diferencial da regularização de bonificações, foi rapidamente resolvida pela CGD através da reposição dos montantes cobrados».

O banco garantiu ainda que «as formas de liquidação serão agora acordadas individualmente com os clientes facultando até a possibilidade de pagamentos diferenciados sem juros».