O empresário Américo Amorim assegurou esta segunda-feira, no Porto, que não vai parar de investir devido à actual crise internacional, defendendo que, apesar da gravidade da situação, não se deve «enterrar a cabeça na areia», escreve a Lusa.

«Nada é fácil, mas não é preciso fazer grandes dramas. Temos que ultrapassar a tempestade, reagir pela positiva. Não podemos enterrar a cabeça na areia», frisou.

Américo Amorim defendeu que «é sempre boa altura para os empresários investirem», admitindo, no entanto, que «a intensidade do investimento pode ser maior ou menor conforme a visão que cada um tem da conjuntura».

«Já vi muitas crises e ultrapassei todas. Esta é mais profunda, mas também tenho mais experiência», afirmou.

Corticeira despede quase 200

Américo Amorim falava aos jornalistas no Museu do Vinho do Porto, à margem da cerimónia de entrega dos prémios Best of Wine Tourism, que distinguiu a Wine House da Quinta Nova, propriedade do Grupo Amorim.

«Este prémio é o reconhecimento internacional do esforço feito pela família na recuperação da Estação do Pinhão, que hoje tem uma utilidade que antes não tinha», frisou, referindo-se ao facto da Wine House funcionar na reabilitação estação ferroviária.

O empresário frisou estar «sempre insatisfeito com o que ainda não foi feito», assegurando que tenciona continuar os investimentos no turismo duriense.

«Não vamos parar de investir», frisou.

Os prémios Best of Wine Tourism são uma iniciativa da Rede de Capitais de Grandes Vinhedos, lançada em 1999 pelas cidades do Porto e Bordéus, que já também integra Bilbau, Rioja, Cidade do Cabo, Firenze, Melbourne, Mendonza, S. Francisco e Napa Valley.

Lucros caem 74%

Esta rede pretende associar as principais redes vinhateiras mundiais e as grandes zonas metropolitanas que lhe estão ligadas.

Os prémios Best of Wine Tourism 2008/09 distinguiram, na vertente nacional, a EcoTours Portugal (Prémio Serviços de Enoturismo), a Casa das Pipas da Quinta do Portal (Prémio Práticas Sustentáveis de Enoturismo) e a Wine House da Quinta Nova (Prémio Arte e Cultura), que também recebeu uma distinção a nível internacional.