A Portugal Telecom propôs o congelamento genérico de salários para este ano.

Segundo o comunicado do Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT), na sessão negocial que decorreu esta quinta-feira a administração da empresa terá considerado necessário que os sindicatos e os trabalhadores «aceitem um compromisso histórico de aumento de 0 por cento» para 2009.

Em contrapartida, a administração da empresa compromete-se com a manutenção do emprego, a criação de 400 postos de trabalho e a garantia da continuidade dos regimes sociais existentes e contratualmente estabelecidos.

Contactada pela Agência Financeira, fonte oficial da empresa não quis comentar a medida.

Lucros da PT superam estimativas

2009 pode ser um dos melhores anos de sempre

O STPT está contra a proposta, considerando que este «não é o caminho que levará à dinamização da economia num curto espaço de tempo». O sindicato lembra que desde a oferta pública de aquisição (OPA) da Sonaecom à PT, em 2006, a actualização salarial tem ficado abaixo da inflação.

É difícil aceitar «este desafio»

«Os fortes resultados anuais com a melhoria em todos os negócios do exercício de 2008 no Grupo PT excederam as expectativas de todos, pelo que é difícil aos trabalhadores aceitarem ¿este desafio¿ da administração», conclui o STPT.

Recorde-se que os lucros da PT aumentaram 100,3% para 143,8 milhões de euros no quarto trimestre. A ajudar esteve o crescimento das receitas e também os menores custos devido à redução de trabalhadores.

Estes números ficam acima do estimado pelos analistas, que previam que o lucro líquido da empresa liderada por Zeinal Bava rondasse os 93,3 milhões de euros, no período em análise.

Quanto ao total do ano de 2008, os lucros da PT desceram 21,6% para 581,5 milhões de euros. Já as receitas operacionais, neste período, cresceram 9,5% para 6.734,3 milhões de euros e o EBITDA subiu 3,7% para 2.442,9 milhões de euros.

As acções da PT fecharam a valorizar 0,16% para 6,10 euros.