O PSD apelou hoje ao vice-presidente da associação cívica Transparência e Integridade (TIAC), Paulo Morais, para entregar a lista de devedores ao BES Angola (BESA) que diz ter em sua posse.

«O apelo que faço, que o grupo parlamentar do PSD faz, é que [Paulo Morais] entregue à comissão parlamentar de inquérito [BES/GES] essa lista, que obviamente será depois entregue ao MP», revelou à agência Lusa Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD que coordena o partido na comissão de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES).


A comissão, frisou o social-democrata, «pediu a lista quer a entidades portugueses quer a entidades angolanas» e ela não chegou aos deputados

«Não tivemos acesso à lista de modo algum», sublinhou, insistindo que Paulo Morais tem o dever «cívico» de entregar a lista em questão, o anexo à garantia do Estado soberano ao BESA e onde estavam todos os grandes devedores ao banco, aos deputados. Entretanto, o requerimento já foi formalmente entregue ao presidente da comissão.

Também o PS pediu hoje a Paulo Morais a lista de destinatários dos empréstimos concedidos pelo BESA.

«Os deputados do grupo parlamentar do PS vêm requerer a Paulo Morais que disponibilize os documentos que diz ter em sua posse sobre este tema», afirma o PS em documento enviado ao presidente da comissão de inquérito, Fernando Negrão.


A comissão ouviu na terça-feira o ex-presidente do BESA, Rui Guerra, que admitiu que a entidade «não foi capaz de identificar os beneficiários de muitos dos empréstimos concedidos pela instituição».

Em declarações à Rádio Renascença, Paulo Morais revelou não ser difícil detetar o paradeiro do crédito concedido pelo BESA, montante de paradeiro incerto e que contribuiu para a queda do BES e do GES.