A assembleia de apuramento geral para recontagem dos votos das autárquicas em 12 secções do concelho de Fafe, ordenada pelo Tribunal Constitucional, está marcada para terça-feira, informou hoje fonte da candidatura independente.

Após a primeira assembleia de apuramento geral, o Partido Socialista foi dado como vencedor das eleições para a Câmara Municipal, com 20 votos de diferença sobre os Independentes por Fafe.

O candidato dos Independentes por Fafe, Parcídio Summavielle, anunciou imediatamente que iria impugnar judicialmente as eleições, considerando que o ato configurou «uma chapelada», face às «muitas e graves irregularidades detetadas» na assembleia de apuramento geral.

Entre as irregularidades, os independentes apontaram um envelope de uma assembleia de voto que não estava selado nem assinado no exterior e resultados divulgados através de um «rascunho» de ata.

Atas sem qualquer referência ao número de votos arrecadado pelas várias forças concorrentes e votos nulos «que simplesmente desapareceram» ou que apareceram misturados com os do PS foram outras irregularidades denunciadas pelos independentes.

Segundo os membros desta lista, estas questões podem ser «decisivas» no apuramento do vencedor das eleições, tendo em conta a escassa vantagem que separa os Independentes por Fafe do PS.

O Tribunal Constitucional ordenou a recontagem em 12 secções, concretamente naquelas onde há dúvidas ou omissões em relação aos votos nulos.

O Partido Socialista de Fafe já manifestou «plena concordância» com esta decisão do tribunal, considerando que ela «permitirá tirar todas as dúvidas e obrigará todos a respeitar a vontade dos eleitores fafenses que deram a vitória ao PS, ainda que por escassa margem».

Em comunicado, o PS sublinha ainda «satisfação pelo facto de, em momento algum, o tribunal ter detetado qualquer ato fraudulento ou vigarice, como alguns irresponsavelmente afirmaram sobre o ato eleitoral do dia 29».