O chefe da diplomacia portuguesa, Rui Machete, considera que a presença, em Milão, dos presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Petro Poroshenko, é «uma oportunidade muito importante» de aproximar posições, antes da chegada do inverno.

Questionado sobre se a reunião, prevista para sexta-feira de manhã em Milão, entre vários líderes europeus e Putin e Poroshenko, à margem da X Cimeira Ásia-Europa (ASEM), será a última oportunidade para evitar a continuação do conflito, com um eventual corte do fornecimento do gás russo à Ucrânia e países do leste europeu, Machete disse que é seguramente uma oportunidade que deve ser agarrada.

«Não sei se é a última, mas é realmente uma oportunidade muito importante sobre um tema vital, que é a questão do gás para o aquecimento no inverno, que nessas regiões é um problema extremamente sério», disse.

Hoje, durante uma visita a Belgrado, Vladimir Putin, advertiu os países europeus de que há «grandes riscos» de perturbações no fornecimento de gás russo neste Inverno se não for resolvido o diferendo com a Ucrânia sobre o preço do gás.

«Não haverá nenhuma crise causada por responsáveis russos pela cooperação energética com a Europa (...), mas existem grandes riscos de trânsito», afirmou Putin numa conferência de imprensa em Belgrado.

Por outro lado, apontou hoje Machete em Milão, trata-se também de um encontro importante para garantir «a manutenção do cessar-fogo», acordado na anterior reunião entre os líderes russo e ucraniano, e aproximar Rússia e União Europeia, já que a eventual adoção de mais sanções seria um «mau sinal», pois tal significaria que não estariam a ser obtidos resultados no sentido do apaziguamento que se deseja.

Rui Machete disse acreditar que Moscovo, desta feita, também dará sinais inequívocos de que deseja um aproximar das posições, pois «os russos também não têm uma vantagem extraordinária em manter uma situação que lhes é prejudicial do ponto de vista económico».

O ministro dos Negócios Estrangeiros representa Portugal, entre hoje e sexta-feira, na X Cimeira ASEM (Ásia-Europa), dominada por um evento realizado à sua margem: uma reunião que juntará à mesma mesa, em Milão, mas não no lugar onde decorre a cimeira, de Putin, Poroshenko e diversos líderes europeus, entre os quais a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente francês, François Hollande, e o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.