O socialista Vítor Ramalho, que apoia Sampaio do Nóvoa, defendeu esta segunda-feira que o anúncio da candidatura presidencial de Maria de Belém Roseira se destinou a perturbar as eleições legislativas.

"Para quem dizia que ia apresentar a candidatura depois das legislativas e ao fazê-lo hoje, dia 17 [de agosto], em que os candidatos do PS pelo círculo de Lisboa foram ao tribunal apresentar a lista para as legislativas, está tudo dito, ou seja, a candidatura de Maria de Belém Roseira foi apresentada ao país hoje para perturbar as próprias legislativas", afirmou à agência Lusa Vítor Ramalho.


Vítor Ramalho, apoiante da candidatura de António Sampaio da Nóvoa, antigo deputado socialista e figura próxima do antigo Presidente da República Mário Soares, não quis tecer mais comentários ao anúncio feito hoje por Maria de Belém.

"Apresentarei publicamente a minha candidatura após as eleições legislativas de 04 de outubro", disse Maria de Belém numa nota enviada à agência Lusa, acrescentando que já comunicou a sua intenção ao secretário-geral do PS, António Costa.

Na mesma nota, a ex-ministra da Saúde refere que "a prioridade para o Partido Socialista, neste momento, são as eleições legislativas", mas justifica o seu anúncio hoje "para evitar especulações" e pelo respeito que lhe merecem as pessoas que lhe têm manifestado o seu apoio.

O anúncio de Maria de Belém coincidiu com uma presença em direto do secretário-geral do PS, António Costa, na SIC Notícias, quando respondia a perguntas de telespetadores, e reafirmou que os socialistas estão "focados nas legislativas" de 04 de outubro.

"Será discutido no momento próprio. Cada coisa tem o seu momento próprio. Nem sabemos sequer o universo total de pessoas que se vão candidatar. Se tivéssemos tomado essa decisão há dois meses atrás, não poderíamos contar com Maria de Belém, que, pelos vistos, anunciou agora", afirmou.


Maria de Belém Roseira, 66 anos, natural do Porto, jurista, foi presidente do PS entre 2011 e 2014 e integrou os governos liderados por António Guterres como ministra da Saúde e ministra para a Igualdade.

A antiga presidente do PS esteve hoje de manhã com António Costa na entrega das listas socialistas à Assembleia da República pelo círculo de Lisboa, no Palácio de Justiça, em Lisboa.