Vítor Gaspar deixou o Ministério das Finanças pela última vez como ministro por volta das 20:20 de segunda-feira. O ministro das Finanças demissionário esteve durante todo o dia no edifício, apurou a TVI24.

Na carta de demissão a Passos Coelho, Vítor Gaspar dá a saber que já tinha pedido para sair do Governo em outubro de 2012. Ou seja, feitas as contas, há oito meses que o ministro agora demissionário pretendia sair do Executivo.

O ministro mais contestado dentro e fora do executivo pediu a demissão este fim de semana depois de um corropio de conversas e reuniões no seio do executivo

Segundo as informações recolhidas pela TVI, foram vários os motivos que contribuíram para esta saída inesperada, tanto mais que havia reuniões de trabalho combinadas para esta semana com Gaspar.

A gota de água terá sido a aprovação de oito propostas do PS para promover o crescimento e o emprego, propostas viabilizadas na generalidade pelo PSD e pelo CDS que contrariaram a vontade de Vítor Gaspar que já tinha enviado um documento para as bancadas parlamentares, aconselhando o seu chumbo.

A pasta das Finanças passa para as mãos de Maria Luís Albuquerque, a partir das 17 horas desta terça-feira, hora da tomada de posse. A nova ministra será a número três do Governo, pois Paulo Portas, líder do CDS-PP e partido que sustenta a coligação, passará a número dois de Executivo de Passos Coelho.

Esta foi a segunda saída de um ministro do XIX Governo Constitucional, depois da demissão de Miguel Relvas do cargo de ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, em abril. Na prática, é a sexta mini-remodelação.

Maria Luís Albuquerque já tem equipa, que também tomará posse nesta terça-feira. Hélder Reis será o novo secretário de Estado do Orçamento, em substituição de Luís Morais Sarmento e Joaquim Pais Jorge será secretário de Estado do Tesouro, ocupando o cargo deixado vago por Maria Luís Albuquerque, na sequência da «mini-remodelação» no Ministério das Finanças, avançou a TVI.