Bagão Félix não tem dúvidas de que a solução de Governo do país vai ter que passar por três partidos e afirmou, isso mesmo, numa entrevista ao jornal «Diário de Notícias» e à rádio «TSF». O ex-ministro das finanças disse ainda que, hoje, «é mais difícil concretizar a reforma do estado».

O problema, segundo Bagão, são os cortes já feitos pelo Executivo de forma «mais ou menos arbitrária», e a uma «violação sistemática do princípio da confiança».

Ainda sobre o guião da reforma do Estado, Bagão Félix sugere que este seja «uma espécie de memorando de entendimento doméstico, interno». E Acrescenta que PS, PSD e CDS vão ter de se entender no pós-troika porque a «solução de Governo do país vai ter que passar por três partidos».

O ex-ministro das Finanças diz ainda que a principal razão para as dificuldades do sistema de pensões, está no elevado desemprego que tem um grande impacto nas contas públicas.

A corrida a Belém também foi tema e para o ex-ministro, Marcelo Rebelo de Sousa, à direita, e António Guterres, à esquerda, são «candidatos naturais». Um candidatura sua está fora de questão.