O líder do Bloco de Esquerda (BE) João Semedo acusou, este sábado, o Governo de substituir a política pela «ameaça e pela chantagem», numa alusão ao périplo europeu do vice-primeiro-ministro que disse destinar-se a preparar mais austeridade.

«Aquilo que o Governo está a preparar é uma nova vaga, é uma avalanche de austeridade: mais cortes nos salários, cortes nas pensões e nas reformas, cortes no serviços públicos, cortes nos apoios sociais. É isto que o Governo está a preparar e foi disto que Paulo Portas e a sua nova adjunta Maria Luís Albuquerque [ministra das Finanças] foram tratar no périplo que acabaram de fazer esta semana pela Europa», criticou o coordenador do Bloco de Esquerda, numa apresentação dos candidatos do BE à câmara de Lisboa.

De acordo com a Lusa, João Semedo acrescentou que além de estar a tratar da «continuação da austeridade», o vice-primeiro-ministro trouxe «uma nova ameaça e uma nova chantagem: ou cortam nas pensões e nas reformas, ou continuam a cortar nos rendimentos dos portugueses ou nós, troika, cortamos o cheque-troika a Portugal».

Para o deputado e candidato à presidência da câmara de Lisboa, o Governo «substituiu a política pela chantagem, pela pressão, pela ameaça» e Paulo Portas e o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, estão a recorrer a todos os pretextos para imporem mais austeridade.

O vice-primeiro-ministro e a ministra das Finanças deslocaram-se esta semana a Bruxelas para encontros com os responsáveis da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional, para preparar as 8ª e 9ª missões regulares de acompanhamento do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro, não sendo conhecidos detalhes sobre o que foi discutido nas reuniões.