O secretário-geral do PS desafiou hoje o primeiro-ministro a pronunciar-se se concorda com o estudo do FMI que defende a mutualização de parte da dívida europeia e manifestou confiança numa penalização do Governo no próximo domingo.

Na sua intervenção, o secretário-geral do PS referiu que o mais recente estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI) defende a mutualização de parte da dívida dos Estados-membros da União Europeia, solução que disse propor para Portugal «há quase dois anos».

Segundo Seguro, seria importante que parte da dívida de Portugal e de outros Estados-membros superior a 60 por cento fosse mutualizada, «encarregando-se a Europa de a gerir, o que baixará as taxas de juro, tendo como consequência um menor pagamento pela nossa dívida e uma descida do défice».

«O primeiro-ministro tem-se oposto. Esta é a altura das pessoas se pronunciarem e também é a altura do primeiro-ministro se pronunciar se continua a estar contra aquilo que me parece ser a única solução para gerir a nossa dívida, atendendo ao seu perfil», apontou.

Em relação às eleições autárquicas, o líder socialista foi um pouco mais longe, pedindo de forma indireta uma penalização das forças do Governo no próximo domingo.

Seguro disse que é possível o Governo ser travado, dando como exemplo a dimensão das manifestações do ano passado contra a reforma da Taxa Social Única (TSU).

«Nestas últimas semanas, tenho encontrado muitas famílias destrocadas pelo desemprego. Este não é o destino para Portugal. Os portugueses saberão no domingo fazer as escolhas certas», sustentou o secretário-geral do PS.

Na parte inicial do seu discurso, o líder socialista referiu-se indiretamente às divergências na estrutura nazarena do seu partido em relação à candidatura à câmara, advertindo para o efeito que, neste município, o PS «não tem dois ou três candidatos».

«O PS só tem um candidato: O Walter Chicharro», frisou Seguro.

Antes de Seguro, Walter Chicharro prometeu instalar mais entidades empresariais na Nazaré, designadamente nas áreas da aquacultura e da transformação de peixe, e obter um certificado de qualidade em relação ao peixe capturado nesta zona do país.

«Temos de dizer basta de estagnação e de uma gestão imoral», disse o candidato socialista, numa crítica ao PSD local.

No primeiro discurso da noite, perante um ambiente eufórico de apoiantes socialistas, o líder da Federação de Leiria do PS, o deputado João Paulo Pedrosa, começou por fazer um rasgado elogio ao líder do seu partido, António José Seguro.

«Como é bom termos um secretário-geral do PS próximo de nós, não só porque vive nas Caldas da Rainha, mas também porque está sempre próximo dos problemas e das dificuldades dos portugueses», disse, recebendo uma salva de palmas.

Depois, João Paulo Pedrosa tentou traçar um cenário de bipolarização sobre o que está em causa nas próximas eleições autárquicas na Nazaré.

«Na Nazaré há muitos candidatos [a presidentes de Câmara], mas só dois podem ganhar as eleições: Ou o candidato de Passos Coelho, que defende o corte nas pensões, ou o candidato do PS, o nosso Walter Chicharro. Não desperdicem votos em outras candidaturas», apelou o líder da Federação socialista de Leiria.