O candidato socialista às eleições primárias do PS António José Seguro voltou este domingo a acusar o opositor, António Costa, de ter provocado a «divisão profunda» do PS, que ficou demonstrada nos resultados para as federações distritais.

«Estes resultados permitem aos apoiantes de António Costa dizerem que obtiveram mais uma federação e aos meus apoiantes dizerem que ganharam por uma diferença de mais de 1.200 votos. Mas, aquilo que, como líder do PS, mais me preocupa é esta divisão profunda que existe no partido. E esta divisão, esta crise, é causada por um motivo: pela ambição pessoal de António Costa», afirmou.

António José Seguro falava à margem de uma ação campanha que decorreu em Penamacor, terra natal do candidato, onde hoje muitos amigos de infância e juventude o esperavam para lhe manifestarem apoio.

As eleições para as federações distritais realizaram-se na sexta-feira e no sábado, com os candidatos que apoiam António Costa às eleições primárias socialistas a vencerem em 10 das 19 estruturas.

Relativamente a estes resultados, António José Seguro preferiu destacar o facto de os candidatos às federações que apoiam a sua candidatura terem obtido «uma grande vitória em termos de número de eleitores» e garantiu que está, «naturalmente, muito confiante para as primárias».

«Para mim estas são eleições federativas, mas não deixam de ter uma leitura nacional como todas as eleições que são feitas», assumiu, voltando a repetir as críticas ao opositor, o qual também acusou de ter «fugido aos momentos fortes» em que poderia ter apresentado a candidatura.

Críticas que repetiu, várias vezes, ao longo do discurso, no qual garantiu que a sua candidatura é «livre de interesses e de tutelas», que só responde «às ordens do povo português».

Prometeu ainda que respeitará sempre valores que aprendeu em Penamacor, designadamente o do valor da «palavra dada», da «honra», da «honestidade» e da «confiança», os quais, lembrou, não foram respeitados por António Costa.

«O ano passado houve novamente um momento de disputa no PS, eu até antecipei as eleições e disse que quem não estava de acordo comigo se apresentasse a eleições. O meu opositor atual disse não, disse que o melhor era fazermos um acordo verbal até às próximas eleições legislativas. Mas, o António Costa rasgou esse acordo. E eu pergunto-lhes: que confiança podem ter os portugueses num homem que não cumpre a sua palavra e faz isto?», afirmou.

António José Seguro deixou hoje uma mensagem na sua página do Facebook a propósito das eleições para as federações. «Saúdo todos os presidentes eleitos das federações do PS. Desejo felicidades e votos de bom trabalho. A todos os que agora terminam o seu trabalho, agradeço a dedicação e empenho em prol do Partido Socialista», escreveu.