O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, recusou esta terça-feira comentar as declarações de Amorim Pereira (PSD) a propósito da renúncia de Daniel Bessa ao cargo de presidente da Assembleia Municipal, acusando-o de «não perceber nada do que aconteceu» na cidade.

«Não comento as declarações de líderes partidários que ainda não perceberam nada do que aconteceu no Porto nos últimos meses e continuam a não perceber», disse o independente Rui Moreira, à margem de uma conferência de imprensa sobre fundos comunitários.

Na segunda-feira, o presidente da Assembleia Municipal do Porto, Daniel Bessa, renunciou ao cargo, alegando motivos pessoais. Em comentário à decisão, o vereador do PSD Amorim Pereira considerou que a resignação «mostra clivagens e problemas graves» no projeto de Rui Moreira.

A renúncia de Daniel Bessa foi conhecida pouco antes do início da sessão extraordinária da Assembleia Municipal do Porto, que foi dirigida pela vice-presidente, a socialista e ex-secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino que teve conhecimento desta renuncia através de uma carta de Daniel Bessa.

Daniel Bessa invocou «razões pessoais» para renunciar ao cargo, mas o social-democrata disse não acreditar que o também ex-ministro da Economia dos Governos de António Guterres «abandonasse o projeto de que fazia parte, com protagonismo, que não fosse por razões muito fortes de índole política».

Rui Moreira disse, ainda na noite de segunda-feira, ter sido "apanhado de surpresa" pela renúncia de Daniel Bessa, não querendo alongar-se em considerações sobre as razões que levaram a esta decisão.

«Se é ele que invoca motivos de ordem pessoal, não nos cabe a nós e a mim pôr em questão aquilo que são motivos de ordem pessoal», comentou, então, o presidente da Câmara.

Já hoje, alguns deputados municipais disseram à Lusa que a renúncia do presidente da Assembleia Municipal do Porto obriga à eleição de uma nova mesa daquele órgão, podendo qualquer dos partidos apresentar candidatura.