O líder parlamentar do PSD espera que o PS resolva os seus «problemas internos», depois de António Costa ter anunciado a candidatura à liderança do partido, entregue a António José Seguro.

«A maioria aguardará o dirimir das questões internas do PS com toda a serenidade», afirmou o líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro, em declarações aos jornalistas no Parlamento a propósito do anúncio da disponibilidade do presidente da câmara de Lisboa, António Costa, para disputar a liderança do PS.

Sublinhando que o país precisa de um «PS forte e comprometido com o futuro de Portugal», Luís Montenegro apontou o alinhamento de estratégia que existiu ao longo dos últimos três anos entre o secretário-geral dos socialistas, António José Seguro, e António Costa, «de não estarem disponíveis» para compromissos e para o diálogo.

«Quer António José Seguro, quer António Costa estiveram muito alinhados os dois na estratégia de não estarem disponíveis para esse sentido de compromisso e na estratégia de não serem parte da solução», disse, fazendo votos para que «depois de resolvidos os seus problemas internos», o PS esteja finalmente disponível para o diálogo e o compromisso político.

«Infelizmente foi aquilo que não aconteceu nos últimos três anos e não aconteceu quer pelas posições da direção política do partido, quer pelas posições políticas assumidas pelo doutor António Costa», insistiu o líder parlamentar do PSD.