Os dirigentes do Partido Socialista (PS) desconfiam que os telefones e a internet da sede do partido, em Lisboa, estão sob escuta ilegal. Os socialistas queixaram-se à Procuradora Geral da República, Joana Marques Vidal, e pediram uma investigação. De acordo com o «Correio da Manhã», o pedido foi entregue na sexta-feira.

Os dirigentes do PS receiam que os telefones, os computadores e outros meios técnicos da sede nacional do partido no Largo do Rato estejam a ser escutados e algumas informações objeto de acesso e intromissão ilegítimos.

A queixa foi apresentada pelo chefe de gabinete de António José Seguro, no dia em que o líder socialista anunciou a rutura das negociações para o compromisso de salvação nacional e na véspera de o Presidente da República falar ao país.

O assessor de imprensa do partido confirmou à TVI que não pretende entrar em detalhes, vem fará nenhum comentário sobre o pedido entregue na PGR.

«O PS não faz nenhum comentário sobre o pedido entregue na PGR para o apuramento e investigação relacionado com dúvidas fundadas de que os telefones, Internet, conversas e outros meios da sua sede nacional podem estar a ser alvo de escutas ilegais», refere uma nota enviada pela assessoria de imprensa do partido.