O grupo parlamentar do PCP requereu esta sexta-feira a audição urgente do ministro da Administração Interna, junto do presidente da Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias sobre os incidentes durante a greve dos CTT.

«Dois deputados (...) viram a sua liberdade de atuação e movimentos coartada pela intervenção de um desproporcionado dispositivo da PSP que não só impediu o exercício dos direitos legalmente conferidos aos piquetes de greve como impediu, pela coação física, os deputados de exercer as suas prerrogativas constitucionais e legais», lê-se no texto, citado pela Lusa.

Durante a sessão plenária, na Assembleia da República, o líder parlamentar bloquista Pedro Filipe Soares referiu-se ao «cordão policial» que, na quinta-feira à noite, junto ao piquete de greve dos CTT, em Cabo Ruivo, Lisboa, «confinou» trabalhadores, dirigentes sindicais, assim como ele próprio e o deputado do PCP Bruno Dias e pediu à presidente da Assembleia da República que peça explicações ao ministro das Administração Interna.

A presidente da Assembleia, Assunção Esteves, respondeu que «a função do deputado é sagrada» e que irá tentar «saber rapidamente o que se passou», sem esperar pela conferência de líderes parlamentares, argumentando que «o dever de reagir e saber é imediato».