O primeiro-ministro recusou esta sexta-feira comentar em Dublin, após o congresso do Partido Popular Europeu (PPE), a manifestação de elementos das forças e serviços de segurança que teve lugar na quinta-feira, em frente à Assembleia da República.

«Agora não», respondeu Pedro Passos Coelho aos jornalistas portugueses, depois de ter sido questionado sobre a manifestação, abandonando de imediato o centro de convenções de Dublin, onde terminou hoje o congresso da maior família política europeia, que elegeu Jean-Claude Juncker como candidato à presidência da Comissão Europeia.

Milhares de elementos das forças e serviços de segurança manifestaram-se na quinta-feira frente ao parlamento, numa ação de protesto contra os cortes salariais, em que a tensão foi elevada, com manifestantes a conseguirem invadir parte da escadaria da Assembleia.

Durante os protestos, foram registados 10 feridos e duas pessoas identificadas por desacatos.

Manif de polícias tem «obviamente» eco no Governo