O Partido Socialista acusou o primeiro-ministro de fazer um discurso insensível e contraditório e disse que Pedro Passos Coelho insiste em pressionar o Tribunal Constitucional.

Em declarações aos jornalistas após o discurso de Passos Coelho na festa social-democrata do Pontal, o porta-voz do PS, João Ribeiro, apontou que a intervenção do chefe do Governo tem três ideias fundamentais: «Apesar do mal feito, continua o mesmo caminho, pressiona o Tribunal Constitucional e envia recados para dentro do Conselho de Ministros».

«Os portugueses ouviram o primeiro-ministro a pressionar de forma inaceitável o Tribunal Constitucional», reforçou.

O PS considera também que o primeiro-ministro e líder do PSD tem um discurso contraditório ao anunciar que não atua para ganhar eleições, mas divulgando os objetivos do partido para as autárquicas de setembro, que passam por manter a presidência da Associação Nacional de Municípios.