«Vidas roubadas não incomodam os organizadores das contas públicas. Em plena escuridão da tirania fiscal, surge a medida que verdadeiramente qualifica a governação dos vendidos: uma lotaria de facturas, para sortear carros apreendidos pelas finanças. A economia de casino da banca havia de dar nisto...»