«Passos Coelho convocou um conselho de ministros extraordinário para ultimar o orçamento de estado, agora que se percebeu o rumo domingueiro do governo: sugar pelo quarto ano consecutivo os rendimentos dos cidadãos, para alimentar o buraco da banca ou o clientelismo estatal. Os chupistas não desistem.»